Paradigmas de Programação: guia completo para iniciantes

Nessa perspectiva, entende-se o porquê da contínua utilização deste conceito no pensamento moriniano para analisar tanto a ciência como as transformações socioeconômicas provocadas por esta forma específica de compreender e explicar a realidade. Sendo assim, o pensamento de Morin deve ser entendido como uma proposta de reparadigmatização fundamentada em outra lógica de produção de conhecimento que, ao invés de reduzir e simplificar a realidade, busca compreender a complexidade como geradora de um saber consciente (Morin, 2005). É consenso que o paradigma da simplificação, vigente desde o século XVII, proporcionou enormes avanços científicos e filosóficos. Entretanto, o progresso científico cego e incontrolado, bem como a incapacidade de reconhecer e compreender a complexidade da realidade “antropo-social” também ocasionaram graves ameaças que começaram a revelar-se no decorrer do século XX (Morin, 2001a). Morin denomina esse conjunto de princípios supralógicos que organizam a produção de conhecimento cientifico e, de forma geral, a ciência como o “paradigma da simplificação”.

  • Na ciência, os paradigmas desempenham um papel crucial na construção do conhecimento e na evolução das teorias e práticas científicas.
  • Você segue paradigmas desde que acorda e segue uma série de rotinas ao longo do dia, porque acredita que são as melhores formas de fazer tudo o que faz.
  • Quando muitos desenvolvedores trabalham em conjunto e não precisam entender com profundidade sobre cada componente, existe abundância em código e muitas mudanças são previstas no projeto, então vale a pena investir neste paradigma.
  • Existem diversos tipos de paradigmas, cada um com suas próprias características e formas de abordar a resolução de problemas.
  • No artigo The March of Paradigms da revista Science, de 1999, consta que, em 1998, mais de cem artigos das principais revistas utilizaram o termo “paradigma” em vez de “método” e “teoria”.
  • Sequencialmente, Einstein, por meio de estudos, desenvolveu o que conhecemos como Teoria da Relatividade.

Durante séculos, acreditava-se que a Terra era o centro do universo, com os demais corpos celestes orbitando ao seu redor. No entanto, as observações de Galileu Galilei e as teorias de Nicolau Copérnico e Johannes Kepler desafiaram esse paradigma estabelecido, levando à adoção do modelo heliocêntrico. Geralmente, as quebras de https://gravatar.com/wojis64155 ocorrem durante mudanças em áreas de tecnologia, políticas e de ideais. Nos contextos empresariais, as mudanças de paradigmas ocorrem de forma mais rápida, já que a tecnologia tem grande influência em seu ambiente, nas formas de trabalho e principalmente em seus processos produtivos.

O homem nasce bom e a sociedade o corrompe ou o contrário?

É importante compreender que os paradigmas não são estanques e podem coexistir e se complementar em diferentes contextos de pesquisa. A escolha do paradigma adequado depende dos objetivos da pesquisa, da natureza do problema investigado e das questões teóricas que orientam o estudo. Portanto, o conhecimento interpretativo do outro é produzido através de um processo prolongado de interação realizado por etnógrafos que mergulham na cultura que estão estudando. Usando métodos etnográficos de entrevistas informais, observação participante e estabelecimento de relações éticas, os pesquisadores interpretativos constroem relatos confiáveis ​​e autênticos do outro cultural. Aplicado à pesquisa educacional, esse paradigma permite que os pesquisadores construam entendimentos locais ricos das experiências do mundo da vida de professores e alunos e das culturas de salas de aula, escolas e comunidades que eles servem.

Segundo Thomas Kuhn os https://soundcloud.com/wojis64155 são conjuntos de regras e regulamentos que estabelecem limites e sinalizam como resolver problemas dentro desses limites. Percebeu como a palavra “rápido” e a palavra “ligeiro” possuem a mesma função dentro do que foi escrito? Assim como nas frases citadas acima, você provavelmente conhece várias palavras que dão o mesmo sentido ao que deseja falar.

Outros significados e conceitos

Para melhor defender a ciência, Kuhn lança mão daquela que é, muito provavelmente, sua noção mais conhecida, a saber, paradigma. É em torno desse termo, que chegou a ser incorporado ao vocabulário do homem comum, que Kuhn exibiu a autêntica natureza da ciência, ao menos durante o chamado período de ciência normal. Em resumo, as principais características da pesquisa https://www.noteflight.com/profile/f310754dba94df5ee63995da7d26b96e66bd73ca científica são a objetividade, a sistematização, a reprodutibilidade e a ética. Esses princípios fundamentais garantem a qualidade e a credibilidade dos resultados obtidos, contribuindo para o avanço do conhecimento científico em diversas áreas do saber. Cada paradigma orienta os pesquisadores a adotarem diferentes métodos, técnicas e abordagens em seus estudos.

paradigmas

Um dos paradigmas mais conhecidos é o paradigma positivista, que se baseia na ideia de que a ciência deve ser objetiva, mensurável e verificável. Nesse paradigma, a pesquisa é guiada pela observação, experimentação e análise de dados quantitativos. Outro paradigma importante é o paradigma interpretativista, que valoriza a subjetividade, a complexidade e a interpretação dos fenômenos sociais e humanos. Um paradigma de pesquisa bastante comum conhecido e consolidado em diversas universidades ao redor do mundo é o positivismo. É um paradigma de pesquisa científica que tenta investigar, confirmar e prever padrões de comportamentos semelhantes à lei e que funciona em pesquisas de pós graduação para testar teorias ou hipóteses. Isso é particularmente útil nas ciências naturais, nas ciências físicas e, até certo ponto, nas ciências sociais, especialmente onde amostras de tamanhos muito grandes estão envolvidas.

Leave A Comment